• Nós Educação

Descarte de resíduos sólidos de máscaras e luvas.

por Macsuel Miranda


Caro leitor, hoje vamos parar e refletir sobre os efeitos dessa situação de confinamento causados pela pandemia do novo Coronavírus, o COVID-19.


Com essa pandemia pelo país, muitas pessoas já estão se prevenindo. Além de evitar locais com aglomerações, higienizar as mãos e evitar o contato com o rosto, outras medidas também estão sendo adotadas. Os mais cuidadosos passaram a fazer uso de luvas e máscaras em locais de grande circulação, inclusive aqui na minha cidade - Volta Redonda/RJ, cujo uso de máscaras em locais abertos e fechados é obrigatório.


A procura pelas máscaras nos últimos dias tem sido tão grande que o item já está em falta em muitos estabelecimentos. Nos hospitais, as máscaras são distribuídas gratuitamente para aqueles que desejam se prevenir. Vale lembrar que elas são descartáveis e devem ser desprezadas após o uso. Mas, é preciso estar atento para saber como e onde descartá-las.


Como se trata de material infectado, as máscaras usadas não podem e nem devem ser dispensadas no lixo comum. Descartá-las em local adequado é fundamental para evitar o risco de contaminação.


"As máscaras cirúrgicas usadas pela população como forma de proteção são classificadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos como material infectante do Grupo A. Isto é, contêm microrganismos capazes de originar algum tipo de contaminação por bactérias, vírus entre outros tipos de agentes infectantes. Portanto, precisam ser descartadas seguindo normas técnicas sem causar danos ou riscos à saúde pública, minimizando os impactos ambientais e utilizando procedimentos específicos de engenharia para o confinamento destes"

Quem nos explica isso é Rafael Zarvos, fundador da Oceano Gestão de Resíduos, empresa responsável pelo descarte responsável do lixo doméstico.O especialista alerta que, ao descartar as máscaras no lixo comum, o cidadão, ao contrário de fazer a sua parte, acaba infectando o meio ambiente. Ele acrescenta:


"A consequência do descarte inadequado é que este resíduo infectado acabará sendo levado para um aterro inapropriado para receber este tipo de material"

Nesses casos, o indicado é enviar as máscaras às empresas que fazem coleta e gestão de resíduos domiciliares para garantir que o material terá o destino correto.


Saudações Ecológicas,


Macsuel Miranda, Especialista em Gestão Ambiental e professor universitário.


Volta Redonda, RJ, Brasil

©2019 por Nós Educação.