• Nós Educação

Vamos falar de Educação Financeira?

Fui convidada para ser colunista e me senti honrada. Falar sobre educação financeira é a minha paixão. Escreverei todas as semanas e, caso você tenha algum tema para sugerir é só deixar seu comentário. Hoje essa coluna é dedicada à importância de se planejar financeiramente. Vamos lá?


Ter um planejamento financeiro pessoal é o primeiro passo para mudar a situação das suas finanças. Costumo brincar que se planejar financeiramente é uma tarefa árdua assim como fazer regime! Se você é responsável por uma família, imagina que o seu planejamento pode (e vai) impactar todo mundo. A tarefa passa a ser um esforço conjunto. Voltando à parábola do regime, não adianta você querer emagrecer com alguém comendo doce ao seu lado em casa.


O Planejamento Financeiro não serve só para economizar ou cortar gastos. Ele permite poupar e até acumular dinheiro. Ele viabiliza qualidade de vida! Você vai poder ter a chamada segurança financeira. Poder aproveitar a vida e se sentir tranquilo em caso de imprevistos.


Mas, como começar? A primeira etapa é “Anotar todos os seus gastos”. Quando eu digo todos, vale desde a bala no ponto de ônibus ao aluguel da casa. Pode anotar em um caderno, em uma planilha ou em um aplicativo, como o Guia Bolso ou Jimbo. Não importa o local, o que vale é que não devemos deixar nenhum gasto esquecido.

A seguir, chega o momento em que você precisa entender seu padrão de gastos. É o momento de você priorizar o mais importante e verificar os gastos desnecessários. Aqui, o truque é pensar: isso eu quero ou isso eu preciso.


Agora você está apto a fazer um orçamento! Estabeleça metas para cada categoria de despesas: não se esqueça de ter uma categoria de lazer. Ninguém pode cortar o lazer de suas despesas, afinal, merecemos!


Lembre-se: só ter o orçamento e não acompanhar não adianta de nada! Precisa monitorar os seus gastos para saber se estão dentro do orçado. Se não tiver, é hora de cortar gastos. Veja a categoria dos gastos e verifique se não foram compras por impulso, essas são as eternas vilãs que convivemos diariamente. Lembre-se de que você não deve decidir o que cortar sozinho. Não se torne um vilão na família, faça uma reunião e decidam em conjunto o que é melhor para todos.


Quando o seu planejamento estiver redondinho, você vai poder gastar sem se preocupar se terá dinheiro para pagar.



Paloma de Lavor Lopes é economista pelo IBMEC-RJ, mestre em Economia pela UERJ e professora universitária.

36 visualizações

Volta Redonda, RJ, Brasil

©2019 por Nós Educação.